5 tipos de investimento para investidor profissional

Saiba quais os principais tipos de investimento para investidor profissional

Anúncios



Há vários tipos de investimento para o investidor profissional.

Cartões mais recomendados

Afinal, quem recebe essa classificação, tem acesso a aplicações mais restritas, isto é, que não estão disponíveis para outros investidores.

É que alguns produtos financeiros, exigem maior conhecimento em relação ao mercado e possuem riscos elevados. Sendo assim, eles costumam ser limitados.

E caso você tenha interesse em se tornar um investidor profissional, deve analisar se o seu perfil atende todos os requisitos.

Para saber mais sobre o assunto e conhecer as principais alternativas de investimento, continue a leitura.

tipos de investimento para investidor profissional

O que é um investidor profissional?

O investidor profissional é a pessoa física ou jurídica que possui mais de R$ 10 milhões em aplicações financeiras e que ateste essa condição por escrito.

Anúncios


Também estão incluídos nessa classificação:

• Instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil;

• Companhias seguradoras e sociedades de capitalização;

• Entidades abertas e fechadas de previdência complementar;

• Fundos de investimento;

• Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por um administrador autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM);

Anúncios


• Agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários autorizados;

• Investidores não residentes (pessoas físicas ou jurídicas com residência, sede ou domicílio no exterior, mas que investem no Brasil).


Qual a diferença entre investidor qualificado e profissional?

A principal diferença entre um investidor qualificado e um profissional, basicamente, é o valor investido.

O investidor qualificado precisa comprovar R$ 1.000.000,00 e atestar a sua condição por escrito.

Já o investidor profissional, é a pessoa que possui pelo menos R$ 10.000.000,00 ou que se enquadra nos critérios da CVM.

De qualquer forma, os investidores que recebem uma dessas classificações, possuem diversas vantagens. A principal delas, é o acesso a aplicações mais restritas, que apesar dos riscos, oferecem taxas de retorno mais atrativas.

um investidor profissional também é considerado um investidor qualificado

Quais as vantagens de se tornar um investidor profissional?

O investidor profissional possui acesso a produtos financeiros que não estão disponíveis para o público em geral.

Dessa forma, ele conta com maiores opções de rentabilidade e diversificação.

Além disso, as instituições financeiras costumam oferecer condições especiais para esses investidores, como por exemplo, gestão especializada.


Fundos destinado a investidor profissional

Como o próprio nome já diz, esse fundo é exclusivamente voltado para o perfil profissional.

Podem participar desse fundo:

• Investidores que tenham vínculo familiar ou societário a um investidor profissional desde que 90% das contas do fundo sejam detidas por eles;

• Empregados e sócios de administradoras ou gestoras do fundo ou empresas ligadas a elas, mediante autorização expressa do diretor responsável da instituição perante a CVM.

Fonte: Akeloo


Quais os principais tipos de investimento para investidor profissional?

Há vários investimentos disponíveis para o investidor profissional.

Abaixo, confira algumas dessas aplicações:


CRI e CRA

O certificado de recebíveis imobiliários (CRI) e o certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) são títulos de renda fixa.

Esse investimento funciona com base na securitização de dívidas, que são transformadas em títulos de crédito.

Uma das principais vantagens dos certificados de recebíveis é a isenção de Imposto de Renda.

Os CRIs e CRAs são indicados para investidores que possuam uma carteira com um aporte maior e que procuram diversificação.

Os investidores profissionais possuem acesso a CRIs e CRAS não performados e que não disponibilizam informações financeiras completas.


Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC)

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios funciona como uma união de diversos investidores, que unem seus recursos em um investimento comum para todos.

Estes fundos destinam uma parcela de, no mínimo, 50% do patrimônio líquido para a aplicação em direitos creditórios.

Atualmente, esse investimento representa um importante instrumento de securitização do Mercado de Capitais Brasileiro.

Mas afinal, o que são Direitos Creditórios?

Eles correspondem aos créditos que uma empresa tem a receber, como parcelas de cartão de crédito, duplicatas e cheques.

Os direitos também podem ser derivativos de operações imobiliárias, financeiras e comerciais.

Os FIDC são boas alternativas para quem deseja diversificação e bons ganhos. Entretanto, é preciso atentar-se ao risco de crédito.


Fundo de Investimento no Exterior (FIEX)

O Fundo de Investimento no Exterior (FIEX) é um dos principais tipos de investimento para o investidor profissional e qualificado.

Ele se caracteriza por direcionar parte do seu portfólio em ativos do mercado externo.

Dessa forma, os investidores podem diversificar a carteira com ativos do mundo inteiro.

Basicamente, existem três tipos de fundos de investimento no exterior: renda variável, renda fixa e cambial.

Sendo assim, a estratégia pode prever a alocação em títulos internacionais e alternativas ligadas à renda variável.


Fundos de Investimento em Participações (FIP)

Também conhecidos como Private Equity, os fundos de investimento em participações devem ser constituídos sob a forma de condomínio fechado.

Esse investimento é feito majoritariamente em companhias fechadas ou sociedades limitadas, para acompanhar e obter lucro com o crescimento desses negócios no médio e longo prazo.

Por esse motivo, o gestor do fundo passa a atuar de forma ativa em tal empreendimento, para que assim, seja possível desenvolver estratégias de crescimento. 

O objetivo é valorizar o negócio, para que a rentabilidade seja realmente obtida.

Os FIPs são negociados na bolsa. Desse modo, são classificados como um investimento de renda variável, pertencente à classe fechada.

Dentre as principais vantagens, podemos mencionar o potencial de retorno e a governança corporativa.

Contudo, pelo fato de ser um investimento de longo prazo e de sustentação financeira para negócios que podem demorar mais para serem implementados, é preciso levar a baixa liquidez dos FIPs listados.


Fundos de Investimentos Imobiliários (FII)

Os Fiis são investimentos bem conhecidos no mercado.

Afinal, a maior parte deles é acessível para qualquer investidor.

Entretanto, existem alguns fiis que são limitados aos investidores profissionais e qualificados.

principais dúvidas sobre cri e cra

Conclusão

Esses são os principais tipos de investimentos para o investidor profissional.

Se você tem o valor exigido para fazer parte dessa categoria profissional, pode oficializar o título junto à CVM.

Mas depois de se tornar um investidor profissional, é necessário definir objetivos, se manter atualizado e, claro, continuar estudando e acompanhando o mercado financeiro.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu