O que é investidor qualificado e profissional? Saiba a diferença

Você sabe o que é investidor qualificado e profissional? Conheça as características de cada um e as principais diferenças

Anúncios



No mundo dos investimentos, há uma classificação diferenciada para o investidor qualificado e profissional.

Cartões mais recomendados

E se você pretende se tornar um grande investidor no longo prazo e diversificar a sua carteira, precisa entender melhor as diferenças entre esses dois tipos de investidores!

Pensando nisso, no artigo de hoje, vamos explicar tudo sobre o assunto. Continue a leitura para saber mais.

o que é investidor qualificado e profissional?

O que é um investidor qualificado e profissional?

Investidor qualificado é um termo designado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para aqueles que possuem valores iguais ou superiores a R$1 milhão investido.

Entretanto, é possível fazer parte desse grupo com um capital financeiro inferior.

O investidor qualificado deve atestar o valor por escrito. Ou então, ele deve possuir uma certificação aceita pela CVM, para que assim, ele possa receber essa classificação.

Anúncios


Além disso, ele também precisa atestar que tem o conhecimento necessário para lidar com os riscos envolvidos e fazer aplicações que não são oferecidas para investidores comuns.

Esse conceito é utilizado em vários países, com o objetivo de regular o mercado e proteger os pequenos investidores.

Também podem ser considerados investidores qualificados:

• Pessoas que trabalham como investidores profissionais;

• Clubes de investimentos, que tenham a carteira gerenciada por um ou mais cotistas considerados investidores qualificados;

• Agentes autônomos de investimento;

Anúncios


• Analistas e consultores de valores mobiliários;

• Administradores de carteira;

• Investidores que tenham sido aprovados especificamente para essa categoria.

Quais são as certificações aprovadas pela CVM?

Uma das exigências para ser um investidor qualificado é atestar mais de R$ 1 milhão em investimentos.

Desse modo, é possível solicitar junto à corretora, o Termo de Investidor Qualificado.

Mas se você não tem esse valor, ainda há outro jeito para se tornar um investidor qualificado, de acordo com a instrução 554 da CVM.

Nesse caso, é preciso obter uma certificação que comprove o seu conhecimento em relação ao mercado financeiro.

Apenas os testes reconhecidos pela CVM podem te qualificar como investidor.

Veja quais são as certificações válidas:

• Certificado CGA (gestores de recursos de terceiros);

• Certificado CEA (assessores de investimento);

• Certificado CFP (planejadores financeiros);

• Certificados CNPI (analistas de investimentos);

• Certificado da Ancord (agentes autônomos).

Ao obter uma das certificações mencionadas, você passa a ser considerado pelas instituições como um investidor qualificado.

Dessa forma, poderá ter acesso aos produtos financeiros exclusivos dessa categoria, isto é, que não estão disponíveis para investidores comuns.


O que é investidor profissional?

O Investidor Profissional também é uma categoria de investidores definida pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Entretanto, ele deve possuir pelo menos R$ 10 milhões em aplicações financeiras e assinar um termo, junto a CVM, reconhecendo essa condição de investidor.

Os investidores profissionais têm acesso a todos os tipos de aplicações financeiras. Aliás, essa é uma das características que os diferencia de outras empresas e investidores, que possuem algumas limitações em relação a determinados tipos de investimento.

Mas de acordo com a instrução de número 554 da CVM, também podem ser considerados como investidor profissional:

• Instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil;

• Companhias seguradoras e sociedades de capitalização;

• Entidades abertas e fechadas de previdência complementar;

• Fundos de investimento;

• Pessoas naturais ou jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) e que, adicionalmente, atestem por escrito sua condição de investidor profissional mediante termo próprio, de acordo com o Anexo 9-A

• Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por administrador de carteira de valores mobiliários autorizado pela CVM;

• Agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM, em relação a seus recursos próprios

• Investidores não residentes.

Fonte: CVM


Quais as principais diferenças entre o investidor qualificado e profissional?

A principal diferença entre um investidor qualificado e profissional é o valor investido.

O investidor qualificado precisa comprovar R$ 1 milhão em aplicações financeiras. Já o investidor profissional, deve ter ao menos R$ 10 milhões investidos.

O investidor profissional precisa assinar um termo próprio, da mesma forma que o qualificado. Além disso, ele terá certos benefícios em relação aos investidores comuns.

Entretanto, ambos têm acesso a investimentos mais complexos.


Quais são as aplicações direcionadas a investidores qualificados e profissionais?

Devido ao valor investido e a experiência no mercado financeiro, ao se tornar um investidor qualificado ou profissional, você passa a ter acesso a aplicações mais restritas e exclusivas do mercado.

Entretanto, também é necessário estar ciente dos riscos envolvidos, já que essas aplicações, muitas vezes, são consideradas mais arriscadas e apresentam alta volatilidade.

Isso obviamente faz com que o potencial de retorno seja maior e, consequentemente, mais atrativo para os investidores.

Veja alguns tipos de investimentos direcionados para essas duas categorias:

• Determinados certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA);

• Cotas de fundos mútuos de investimento em empresas emergentes (FMIEE);

• Fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC);

• Fundo de investimento no exterior (FIEX);

• Fundos de Investimentos Imobiliários (FII);

• Fundos de Investimento em Participações (FIP)

É importante mencionar que algumas dessas aplicações financeiras, como os fundos imobiliários e fundos de participações, também possuem opções para outros investidores.

Os fundos de maior risco ou que exigem uma aplicação mínima elevada, em algumas situações, são destinados apenas aos investidores profissionais.


Quais as vantagens de se tornar um investidor qualificado ou profissional?

A principal vantagem é ter acesso a investimentos exclusivos.

Essas aplicações costumam ser mais arriscadas, porém, oferecem uma possibilidade de lucro mais elevada.

O investidor qualificado também pode obter condições diferenciadas em bancos de investimento.

Desse modo, aqueles que possuem um perfil mais arrojado, isto é, são mais tolerantes aos riscos, podem diversificar a sua carteira e explorar mais opções de produtos financeiros.

os melhores investimentos a longo prazo

Conclusão

De maneira resumida, podemos dizer que o investidor qualificado precisa ter R$ 1 milhão investido, enquanto os profissionais devem ter, no mínimo, R$ 10 milhões.

Como você viu, o investidor qualificado e profissional possui algumas vantagens, como por exemplo, o acesso ampliado a diferentes produtos financeiros.

Além disso, várias instituições financeiras oferecem condições vantajosas, como redução de taxas e gestão especializada.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu