Quais são os principais tipos de finanças? Saiba gerir o seu dinheiro!

Descubra quais são os principais tipos de finanças e a importância de cada um deles

Anúncios



Os principais tipos de finanças estão mais presentes no seu dia a dia do que você imagina.

Cartões mais recomendados

Quando se fala de organização financeira, é importante lembrar que não estamos falando apenas de investimento e redução de custos, mas também, de conhecimento e organização.

Por esse motivo, é essencial que você saiba bem quais são os principais tipos de finanças e como eles funcionam na prática.

Quer entender melhor sobre o assunto? Então continue a leitura.

quais são os principais tipos de finanças

O que é finanças?

O conceito de finanças está relacionado às atividades que envolvem dinheiro e decisões financeiras.

Em relação ao conceito histórico de finanças, ele estava direcionado aos bens e posses do estado.

Anúncios


Mas com o tempo, isso foi mudando e, atualmente, o termo também se refere à movimentação monetária entre pessoas físicas e jurídicas.

Isso engloba as práticas que você precisa aplicar para organizar o seu orçamento, poupar dinheiro, usar o crédito de forma inteligente, fazer investimentos, entre outros.

Seja no lado pessoal ou empresarial, quem leva a sério o conceito de gerenciamento financeiro, tem mais controle de suas economias.


Os principais tipos de finanças

Agora que você já sabe o que significado geral desse conceito, está na hora de conhecer melhor os principais tipos de finanças:


1. Finanças pessoais

O conceito de finanças pessoais, como o nome já diz, abrange atividades que envolvem os recursos financeiros de uma pessoa.

Ou seja, é o estudo e a prática de aplicações que contribuem para a gestão dos gastos pessoais.

Anúncios


Nos últimos anos, como a população começou a estudar mais sobre educação financeira, esse termo se tornou mais conhecido.

Afinal, a sua situação financeira impacta outras áreas da sua vida. Quando não há um planejamento financeiro, você corre o risco de perder o controle dos seus gastos e, assim, acabar endividado.

Diante disso, a organização e gestão do próprio dinheiro são essenciais para ter mais tranquilidade e poder realizar objetivos.

O controle das finanças pessoais está relacionado ao planejamento, a criação de uma reserva de emergência e o uso do crédito com inteligência e de consciente, entre outros.


2. Finanças empresariais

As finanças empresariais lidam com as atividades e processos relacionados ao dinheiro de uma empresa.

O principal objetivo é descobrir como aumentar o valor de uma empresa. As finanças empresariais ajudam a tomar decisões sobre investimentos futuros e financiamentos.

Em geral, isso envolve a supervisão das atividades financeiras. Por esse motivo, ao longo dos anos, as organizações passaram a ter um setor exclusivo para cuidar dessa área, que é o setor financeiro.

Como você já sabe, as decisões que impactam o futuro de um negócio, quase sempre partem de alguma decisão que foi tomada pelo setor financeiro, já que esse setor tem um alcance muito grande.

Além disso, antes de tomar qualquer ação, é importante entender quais são os impactos disso na parte financeira de uma empresa.

É importante lembrar que esse conceito pode ser aplicado em todos os tipos de organização, seja ela pública, privada ou até mesmo, sem fins lucrativos.

Através das finanças empresariais (ou corporativas), é possível organizar o orçamento, otimizar o fluxo de caixa, analisar os melhores investimentos e, claro, identificar alguns erros financeiros que a empresa está tomando.

Com o trabalho de especialistas e profissionais qualificados, fica mais fácil descobrir erros financeiros e obter resultados melhores no futuro.

gestão financeira

3. Finanças comportamentais

As finanças comportamentais são uma área de estudo que tem como principal objetivo compreender os processos de decisões financeiras das pessoas.

É muito comum que na hora de tomar qualquer atitude relacionada ao seu dinheiro, o seu lado emocional fale mais alto do que o lado racional.

Mas você já parou para pensar no quanto isso pode interferir na sua vida?

E é por esse motivo que compreender o significado de finanças comportamentais é tão importante. Mas afinal, o que isso significa?

Bom, essa área estuda as influências cognitivas, sociais e emocionais no comportamento econômico dos indivíduos. Ela surgiu quando especialistas começaram a perceber que as explicações racionais não eram suficientes para justificar o comportamento das pessoas na área econômica.

Sendo assim, o principal objetivo de estudo das finanças comportamentais, é o processo de decisões financeiras, levando em conta que ele é feito por um indivíduo, que possui determinadas crenças relacionadas ao dinheiro.

Mesmo que uma pessoa tenha um excelente conhecimento sobre o mercado financeiro, ela pode tomar atitudes equivocadas, se deixar o seu lado emocional falar mais alto na hora de tomar uma decisão importante,  como por exemplo, comprar ou vender ações.


4. Finanças experimentais

O ramo das finanças experimentais é uma ciência da teoria financeira que avalia de forma teórica as condições do mercado e de todo o cenário que influencia as finanças.

Quem deseja ter mais conhecimento teórico e seguir carreira acadêmica, deve entender muito bem esse conceito.

Ou seja, através das finanças experimentais, o indivíduo terá as ferramentas necessárias para tomar boas decisões futuras relacionadas aos negócios e, também aos investimentos.

É que ao analisar e observar cenários econômicos distintos, a pessoa terá condições de fazer simulações para entender quais decisões seriam mais vantajosas e inteligentes.


5. Finanças públicas

Esse é um dos tipos de finanças que mais devem interessar a população, já que as finanças públicas se referem a gestão financeira do Estado.

Elas compreendem a captação e gestão de recursos pelo Estado para o financiamento de suas atividades.

É por meio desse trabalho que os orçamentos são estabelecidos. Os recursos são distribuídos e as ações governamentais se convertem em medidas de desenvolvimento geral para o país.

Contudo, além dos impostos, a federação também consegue recursos através da venda de títulos públicos (títulos de dívidas emitidos pelo Governo Federal).

6 dicas para ajudar na sua gestão financeira pessoal

Conclusão

No artigo de hoje, você conheceu os principais tipos de finanças.

Como você pode ver, cada um deles tem a sua importância. Aliás, muitas vezes, as suas crenças e comportamentos relacionados ao dinheiro, podem fazer com que você tome decisões equivocadas.

Por esse motivo, desenvolver inteligência financeira e entender o papel das suas emoções na hora de tomar decisões relacionadas ao dinheiro, é essencial para avaliar se elas trazem benefícios ou não para a conquista dos seus objetivos.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu