O que é Open Investment? Saiba como funciona!

Saiba como o Open Investment deve funcionar e o que muda para os investidores

Anúncios



Quem está um pouco mais por dentro do mundo dos investimentos, provavelmente já ouviu falar no Open Investment.

Cartões mais recomendados

É que o mercado financeiro, em especial o de capitais, tem chamado a atenção de pessoas que querem alcançar a tão sonhada liberdade financeira.

A criação do Open Investment irá melhorar as condições para investidores.

Mas afinal, o que é isso? Como funciona na prática?

Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura!

O que é Open Investment?

O Open Investment é uma iniciativa que prevê a autorização do compartilhamento de dados entre instituições financeiras.

Anúncios


Desse modo, são estabelecidas algumas regras para que essas instituições compartilhem seus produtos financeiros e tenham acesso aos dados dos clientes de outras instituições.

Todo o processo é realizado através de um sistema rápido, prático e seguro. Assim, fica muito mais fácil realizar negociações.

Com o compartilhamento de dados, as empresas conseguem oferecer produtos e serviços mais vantajosos, criando ofertas personalizadas.

No Open Investment, é bem provável que o processo seja realizado através do compartilhamento de dados protegidos pela LGPD.

Assim como o Open Banking e o Open Insurance, o Open Investment também faz parte do Open Finance.


O que é Open Finance?

Para que você entenda melhor o conceito do Open Investment, é importante saber o que significa Open Finance.

Anúncios


O Open Finance, ou Sistema Financeiro Aberto, é o compartilhamento padrão de dados sobre produtos, serviços e informações financeiras por instituições autorizadas pelo Banco Central.

Ao compartilhar dados, os clientes podem consultar informações de todas as instituições participantes em um único local, além de ter acesso a melhores condições.

O Open Finance reúne várias iniciativas de digitalização de serviços financeiros e um amplo escopo de dados, como os relacionados ao mercado de investimentos, seguro e previdência.


Como o Open Investment funciona?

Desde 2018, a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) vem promovendo discussões sobre o Open Banking.

É que os produtos de investimento do mercado financeiro e de capitais já foram incluídos na 4ª fase de implementação do Open Banking.

O objetivo é fazer com que nessa fase, de informações complementares, seja possível realizar o compartilhamento de dados de instituições financeiras e produtos disponíveis para os clientes.

Desse modo, o consumidor poderá compartilhar alguns de seus dados com as instituições autorizadas, de forma totalmente online e com segurança.

Com esse conhecimento, as empresas irão criar produtos mais personalizados e com condições especiais para cada cliente.

As instituições participantes também poderão compartilhar os seus produtos de uma forma mais eficiente para que os interessados que ainda não se tornaram clientes, possam ter acesso a tais benefícios e facilidades.

Assim, cada cliente, de acordo com o seu perfil, vai poder conhecer melhor as oportunidades de investimentos disponíveis.


O que o Open Investment deve contemplar?

A tendência é que o escopo dos produtos contemplados priorize aqueles que possuem maior participação.

Além disso, também é importante levar em conta a complexidade dos produtos financeiros.

Quando se trata do compartilhamento de dados e informações, os produtos mais complexos, trazem maiores desafios, já que é necessário desenvolver uma padronização eficiente para o compartilhamento ser eficiente.

De acordo com a decisão do Banco Central, as empresas de investimento, vão poder cadastrar no novo sistema alguns produtos financeiros, como por exemplo:

• CDBs (Certificados de Depósitos Bancários);

• RDBs (Recibos de Depósito Bancário)

• LCIs e LCAs (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio)

• Debêntures

• CRIs e CRAs (Certificados de Recebíveis Imobiliários e do Agronegócio)

• Títulos públicos do Tesouro Direto

• Cotas de fundos de índices listados em bolsas de valores

• Cotas de fundos de investimento

Quando vai começar o Open Investment?

Por enquanto, o foco está direcionado nos produtos e serviços relevantes para o varejo. 

O objetivo é realizar a implementação em três etapas. A escala vai ajudar essas instituições a terem tempo suficiente para pensar no desenvolvimento. Veja só:

• Fase 1 – previsão para dezembro de 2021: por enquanto, as instituições vão disponibilizar alguns dados, como taxas, nome do produto, entre outros.

• Fase 2 – previsão para junho de 2022: Na segunda fase, os consumidores, caso desejem, poderão autorizar o compartilhamento de suas informações, informando o produto.

• Fase 3 – previsão para dezembro de 2022: os dados de transações dos investidores poderão ser compartilhados.

O Open Investment começa a ser implementado a partir da quarta fase do Open Banking, que é a de dados complementares.


Qual o impacto do Open Investment no mercado de capitais?

Para um investidor se tornar bem-sucedido, é muito importante que ele tenha conhecimento na área.

Contudo, a acessibilidade é um fator que também faz diferença.

Há alguns anos, não era tão fácil comprar ações sem pagar corretagem. É que além de as plataformas online gratuitas não existirem, as pessoas não tinham tanto acesso a informação sobre o mercado financeiro.

Elas também tinham medo de investir o seu dinheiro e ter prejuízo, pois não sabiam direito como o processo funcionava.

Mas com a chegada de plataformas mais acessíveis e conteúdo de qualidade sobre o mundo dos investimentos, ficou muito mais fácil para os investidores iniciantes darem os seus primeiros passos.

Quanto mais informação, conhecimento e acessibilidade, melhor!

Desse modo, os investidores, vão ter mais coragem de sair da poupança (que oferece rendimentos muito baixos). Assim, poderão investir em produtos mais vantajosos quando se trata de rentabilidade, principalmente quando o foco é no longo prazo.

Tudo indica que a iniciativa do Open Investment vai diminuir algumas barreiras que ainda existem no mercado de investimentos.

Os brasileiros estão cada vez mais por dentro dos produtos financeiros que oferecem bons rendimentos.

Entretanto, o número de investidores ainda é baixo, pois muitas pessoas ainda acreditam que a poupança é a melhor opção para guardar dinheiro.

Conclusão

Existem várias oportunidades para ampliar a oferta de produtos de investimentos, o que faz com que esse processo se torne mais transparente e seguro, aumentando as soluções e a competitividade entre as instituições financeiras participantes.

Com a transparência do Open Investment, o mercado de capitais e de investimentos vai dar um grande salto.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu