Debêntures: Saiba o que é e como investir passo a passo!

Você sabe o que são debêntures? A renda fixa pode render muito mais do que você imagina, ao se investir neste título de dívida privado. Confira tudo para embarcar nessa aplicação financeira.

Anúncios


À princípio, as debêntures são títulos de dívidas, emitidos pelas empresas com o objetivo de atrair capital de médio a longo prazo. De fato, o investimento se tornou popular, principalmente, ao grupo de investidores moderados a arrojados.

Cartões mais recomendados

Dessa forma, se você está à procura de um investimento a longo prazo com uma boa rentabilidade continue a leitura. Veja um aperitivo do que preparamos para você:

  • O que são debêntures?
  • Como as debêntures funcionam?
  • Quais são os tipos de debêntures?
  • Como é o rendimento?
  • Quais são os riscos?
  • Quais são as vantagens?
  • Como escolher as melhores debêntures?
  • Como investir em debêntures passo a passo?
debêntures

O que são debêntures?

São dívidas emitidas por empresas para atrair liquidez, e os investidores podem lucrar com taxas de juros fixas a tempo determinado. Parecem simples em primeiro momento, mas podemos nos aprofundar.

Debêntures são investimentos de renda fixa, como dissemos, e o seu principal objetivo é evitar recorrer a empréstimos bancários ou à Bolsa de Valores. Os juros pagos às debêntures são menores do que os juros pagos aos bancos, então financeiramente para a empresa faz mais sentido emitir debêntures e conseguir o capital desta forma.

Isso vale também para a venda de ações Bolsa de Valores, já que para muitas empresas não seria ideal a abertura do capital e a venda de grande parte deste.

E olhando pelo lado do investidor, esse tipo de investimento está no topo da lista de opções para quem quer diversificar a carteira de investimentos com algo que não seja tão volátil quanto o mercado de ações, mas que ainda dê um retorno respeitável.

Não existe apenas um tipo só de debênture, e não se preocupe, trataremos dos diversos tipos mais abaixo.


Como as debêntures funcionam?

Anúncios


Como dissemos, debêntures são dívidas vendidas a investidores em troca de retorno na forma de juros.

E isso funciona assim: a empresa, uma sociedade anônima de capital aberto ou fechado, precisa de dinheiro para financiar diversos projetos de expansão. Para isso, decide por emitir debêntures que sai mais barato que as outras alternativas.

O próximo passo é a realização de uma assembleia geral de acionistas para fixar todas as condições das debêntures. Porém, em empresas abertas, o Conselho de Administração pode decidir sobre os títulos sem consultar os acionistas, e fazer todo o processo na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Assim, a empresa que deseja emitir debêntures tem que ser sociedade por ações, ou S.A.. Para realizar a oferta pública das debêntures, a empresa precisa necessariamente ser de capital aberto.

Em seguida, o investidor, sendo pessoa física ou jurídica, pode investir nestas debêntures, que podem variar muito de preço, em uma corretora de valores. Algumas vezes, o valor exigido para investir é grande, de 5 mil ou 10 mil, mas hoje em dia é fácil de se encontrar debêntures de apenas 1000 reais.

E a última parte é a decorrência do prazo da dívida e a remuneração com os juros das debêntures. Basicamente, se você investiu 1000 reais com taxa de 10% ao ano, depois de um ano você terá 1100 reais. Bem simples até aqui; mas antes de tomar qualquer atitude, vamos entender quais são os diversos tipos de debêntures.


Quais são os tipos de debêntures?

Anúncios


As debêntures se dividem em vários tipos diferentes, a depender de como se estabelece o pagamento, quanto à isenção fiscal do imposto de renda e quanto a possibilidade de converter os juros em ações da empresa.

São elas: debêntures incentivadas, conversíveis, simples ou não conversíveis e as debêntures permutáveis. Cada tipo traz vantagens ou riscos diferentes, então escolher bem em qual investir é muito importante. Vejamos:

  • Debêntures simples: o retorno desses títulos é feito de forma simplificada, contando com o capital investido mais os juros em moeda corrente. São chamadas também de não conversíveis porque não se pode converter em ações da empresa;
  • Debêntures conversíveis: já neste título de crédito, existe a possibilidade de se converter as debêntures em ações da empresa ao invés do pagamento dos juros;
  • Debêntures comuns: não possuem isenção fiscal para o imposto de renda;
  • Debêntures incentivadas: essas são isentas de imposto de renda, porque é uma debênture emitida por uma empresa de infraestrutura. Para incentivar o desenvolvimento e o financiamento de obras de infraestrutura, o governo isenta os rendimentos para deixar esse investimento mais atrativo;
  • Debêntures permutáveis: esses títulos permitem que o investidor troque por ações os seus títulos de dívida. Podem ser tanto da mesma empresa quanto de outras empresas. Por isso é importante conferir bem as regras e condições na hora da aplicação.

Como é o rendimento?

Agora que você já sabe os tipos de debêntures que existem, saiba também como elas se dividem e como o rendimento de cada uma funciona. Como são consideradas investimentos de renda fixa, seguem a mesma lógica quando falamos de rendimentos, e esses são:

  • Rendimentos prefixados: o rendimento segue uma taxa de juros já definida no momento da compra, e assim é possível saber exatamente o valor do título no seu vencimento;
  • Rendimentos pós-fixados: ao invés de as taxas de juros serem definidas anteriormente, elas têm sua taxa de juros atreladas a algum indicador (normalmente o IPCA ou o CDI), e seu rendimento terá a variação que esse indicador tiver;
  • Rendimentos híbridos: as debêntures com rendimento hibrido têm as taxas prefixadas e as taxas atreladas a um indicador também. Desse modo, o rendimento será uma taxa mais um indicador, garantindo que estes títulos sempre tenham rendimento superior à inflação.

Quais são os riscos?

Os riscos associados às debêntures normalmente vêm do perigo do calote no caso de insolvência da empresa. É muito importante para o investidor pesquisar muito bem a empresa que emite os títulos, para descobrir qual a situação de crédito desta.

Existe a possibilidade de uma empresa emitir o título da dívida para depois não honrar com o compromisso de pagar as debêntures. E esse é o risco das debêntures: a possibilidade de o investidor levar um calote da empresa.

Neste sentido, existe também o risco de que a empresa emissora das debêntures esteja envolvida com algum problema jurídico, como uma intervenção, um pedido de falência ou um processo de insolvência.

É importante notar que esse tipo de investimento não tem proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Então, as debêntures são sim um investimento um pouco mais arriscado que os outros tipos de renda fixa.


Quais são as vantagens?

Ao se eliminar o risco, as debêntures se comportam como qualquer outro investimento de renda fixa, mas com os rendimentos melhores. O risco é justamente o que faz com que os rendimentos sejam mais atraentes.

São duas as grandes vantagens das debêntures: novamente, o rendimento acima da média para investimentos de renda fixa; mas também, a possibilidade de diversificar bastante o seu portfólio.

As debêntures trazem muitos tipos de títulos, prazos, tipos de rendimentos e garantias, e oferecem tantas opções que diversificar seu portfólio da carteira de investimentos de renda fixa é muito viável.

Como escolher as melhores debêntures?

A escolha da melhor debênture depende muito do objetivo do investidor. Com tantas opções em relação ao prazo, à forma de pagamento e a opção de ser isento no imposto de renda, a decisão final realmente é do investidor. As melhores debêntures são aquelas onde, depois da pesquisa, os rendimentos e os riscos se equilibram.

Selecione as debêntures de empresas consolidadas

Ao escolher, devemos sempre ficar atentos ao risco do calote. Uma boa opção vem de empresas sólidas.  Portanto, selecione uma empresa que não está em dificuldades ou que faça parte de um setor que passa por uma crise.

Pesquise sobre as dívidas da empresa

Pesquise sobre as dívidas da empresa emissora das debêntures: uma empresa muito endividada pode acabar falindo.

Descubra sobre as atividades  e balanço financeiro da organização

A melhor dica para se escolher as debêntures é procurar saber a atividade-fim da empresa emissora, seu balanço financeiro e como a empresa quer usar o dinheiro captado pelos títulos.

Feito essa pesquisa, as empresas que parecem mais sólidas geralmente são as melhores opções, mesmo que as debêntures rendam menos ou tenham prazos mais longos.


Como investir em debêntures passo a passo

Para se investir em debêntures, é preciso passar por um processo rápido e simples. Basta que o investidor tenha uma conta em uma corretora de valores ou banco de investimentos que negocie esses títulos.

E aí então é só acessar a página de renda fixa no site ou aplicativo da corretora e procurar pelas debêntures disponíveis. Cada corretora tem um layout diferente, mas todas praticamente possuem a opção de busca ou de filtrar os ativos que se quer investir.

Basicamente são três passos:

  1. Criar uma conta em uma corretora de valores;
  2. Acessar a parte de renda fixa da corretora de sua escolha, ou procurar pelas debêntures com opções de busca e filtro;
  3. Pesquisar bem qual debênture escolher, o balanço da empresa, como esta usará o dinheiro captado, etc., e por fim, comprar o ativo.

 

Para fazer um bom negócio, considere o porte das empresas, sua situação de crédito, a remuneração oferecida na debênture e os tipos de títulos, e já podemos ter uma ideia de quão diversificado é esse mercado.

Em síntese, as debêntures são uma excelente opção para quem quer diversificar o seu portfólio, mas não abrir mão de um bom rendimento. Investir em debêntures é muito fácil, e é fácil de entender como elas funcionam.

Considere qual opção se encaixa no seu perfil

Por isso esse tipo de investimento é uma excelente opção pra quem ainda não quer entrar no mercado para investimentos variáveis. Na hora de escolher, considere qual opção melhor se encaixa no seu perfil. As opções de debênture são tão variadas que, com certeza, alguns ativos irão ser adequados para as suas preferências de investimentos.


Conclusão

Com base no que foi apresentado, a facilidade desse investimento é um ponto forte. Basta ter uma conta em uma corretora e procurar pelo investimento. Logicamente, a devida pesquisa é muito recomendada e esse passo não deve ser pulado nunca.

Investidores mais adversos ao risco podem não gostar muito das dessa opção no primeiro momento, justamente por esse fato, mas nada que uma boa pesquisa quanto à empresa emissora não resolva. O principal risco é o da empresa falir, ser insolvente ou com problemas na justiça: coisas relativamente fáceis de descobrir.

Dependendo do seu perfil como investidor, as elas são realmente uma opção muito atraente e podem valer muito à pena. Se você é um investidor mais moderado, com alguma tolerância a perdas, talvez esse investimento seja perfeito para você.

Por fim, recomendamos que se você não tem tempo ou conhecimento para fazer a devida pesquisa na hora de comprar uma debênture, que procure ajuda profissional de um escritório de assessores de investimentos.

Gostou desse conteúdo? Aproveite e leia também: “Fundos de investimentos: o que são? Como investir? Clique no botão abaixo e saiba mais!

fundos de renda fixa

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu