O que são moedas digitais e quais as melhores opções para comprar?

Moedas digitais são o novo jeito de fazer negócio e investir. Se você quer saber o que são, como funcionam, e as principais moedas digitais do mercado, continue lendo!

Anúncios



As moedas digitais, ou criptomoedas como também são conhecidas, estão com a popularidade em alta nos últimos tempos.

Cartões mais recomendados

Pelo menos você já ouviu falar de Bitcoin a essa altura. Todos estão falando sobre criptomoedas, e ouvimos histórias de algumas moedas que explodiram de valor nos últimos anos, transformando muita gente em milionários do dia para noite.

Mas antes de entrar nesta nova onda do momento, é bom entender bem sobre o que são as moedas digitais e como elas funcionam.

A parte técnica da coisa toda pode ser bem complexa, e cada moeda digital tem uma estrutura e um jeito de funcionar diferente das outras.

O texto ficaria longo demais se entrássemos em detalhes sobre cada moeda digital diferente e explicássemos a tecnologia por trás de cada uma.

Existem muitas moedas digitais, algumas inclusive são brasileiras. Mas moeda digital mais comum, a mais falada, e pioneira é o Bitcoin, que iremos usar de exemplo para explicar exatamente o que é uma moeda digital e como funciona.

o que são moedas digitais e quais são as melhores opções?
O que são moedas digitais e quais as melhores opções? | Reprodução: Valorizei

O que são moedas digitais?

Anúncios


Moedas digitais são uma forma de dinheiro inteiramente digital, dependente da internet para funcionar e não possuem nenhum componente físico.

Por isso, quando ouvimos dizer que alguém comprou Bitcoin, seria o mesmo que dizer que alguém comprou Dólar, ou Euro, por exemplo.

A diferença é que o Bitcoin possui toda uma tecnologia de blockchain por trás, e não possui notas de papel e nem moedas de metal.

E o grande segredo das moedas digitais é exatamente essa tecnologia revolucionária que é a blockchain.

Em inglês significa, literalmente, “cadeia de blocos”. E a tecnologia funciona dessa maneira, com diversos blocos contendo informações relevantes interligados a toda a cadeia de transações e de usuários.

Aproveite e leia também: “Como investir em Bitcoins no Brasil?”

Anúncios


O Bitcoin, por exemplo, foi criado por uma pessoa (ou pessoas) de pseudônimo Satoshi Nakamoto, sem nenhum vínculo a qualquer governo ou banco central.

Isso porque as moedas digitais não são emitidas por governos ou bancos, mas pelos próprios usuários da rede blockchain através do processo de mineração.

Tudo é descentralizado e ninguém controla a rede toda, mas apenas as moedas que possuir.

E para entender o que são moedas digitais, precisamos entender o que é mineração.

Em uma moeda digital, como o Bitcoin, não existe uma autoridade central que registre, acompanhe e valide as transações dos usuários.

Mas ao mesmo tempo, cada bloco na cadeia do Bitcoin possui as informações sobre transações entre usuários que não podem ser alteradas por ninguém, e são constantemente atualizadas com cada transação.

Como isso é possível? Através da mineração dos blocos.

Cada nova transação com a moeda digital a ser anotada pela blockchain e registrada em um novo bloco tem que ser verificada por um minerador, que é exatamente quem registra, anota, verifica e finaliza todas as informações das transações no bloco.

Esses mineradores oferecem o processamento de seus computadores para a rede, e realizam os registros e conferem todas as operações.

Em troca, recebem como remuneração pelo serviço de processamento uma moeda nova. Assim, as operações com Bitcoin se mantêm descentralizadas e ao mesmo tempo, seguras e criptografadas na blockchain.

E para que servem as moedas digitais?

Servem para o mesmo que as moedas tradicionais, como o Real. E assim como o Real, as moedas podem ser fracionadas em partes como os centavos de Real.

No Bitcoin, cada única moeda possui 100.000.000 satoshis, isso mesmo, cem mil!

Mas além disso, cada moeda digital pode apresentar diferentes funções, como o Etherium por exemplo, que tem também a função de smart contracts, ou contratos digitais.

Mas para a maioria das pessoas, as moedas digitais têm a função de investimento, de reserva de valor, ou de moeda para transações comerciais.

Qualquer um pode adquirir moedas digitais, desde que tenha acesso à internet e saiba usar a tecnologia.

Para o Bitcoin, novamente como exemplo, é preciso ter uma “carteira” digital, que pode ser um aplicativo em um smartphone.

Essa carteira possui toda a informação necessária para armazenar as suas moedas digitais.


Como comprar?

Como qualquer outra moeda física, comprar moedas digitais não é complicado. Você pode comprar de uma outra pessoa que já possui, ou te uma instituição financeira.

O método mais seguro e rápido de se comprar moedas digitais no Brasil atualmente é se utilizando dos serviços de corretoras especializadas chamadas de exchanges.

Por esse motivo, vamos explicar como as exchanges funcionam, já que comprar de uma outra pessoa é como comprar qualquer outra coisa. Como estamos falando de dinheiro, vale lembrar que comprar de outros indivíduos desconhecidos online é bem arriscado. O método mais seguro é mesmo comprando de uma exchange.

Eis o passo a passo para facilitar o entendimento:

  • Crie uma conta na corretora especializada (exchange): hoje em dia existem muitas exchanges famosas e de boa reputação que você pode contratar diretamente no Brasil. Alguns exemplos são a Binance, a Coinbase, a BitCâmbio e a FoxBit. A maioria das exchanges hoje em dia segue diretrizes de “conheça seu cliente”, para evitar lavagem de dinheiro e compra por criminosos.
  • Cadastre seus dados: ao criar a conta na exchange, antes de comprar moedas digitais você precisará enviar uma foto do seu documento comprovando que você é uma pessoa real, e para que a exchange saiba quem você é, por motivo de segurança.
  • Deposite dinheiro (dólares ou reais) para que você tenha fundos para comprar as moedas digitais.
  • Procure a moeda digital que você quer comprar e faça a compra com os fundos que você depositou.

Vale ressaltar que exchange não é a mesma coisa que carteira de criptomoedas.

As exchanges são corretoras especializadas, onde você pode negociar os valores digitalmente.

A diferença é a mesma de uma conta corrente em um banco onde você guarda os seus reais, de uma conta em uma corretora de valores onde você investe os reais em ativos financeiros.

A conta no banco com os seus reais é a sua carteira de moedas digitais: o dinheiro lá é seu e está sob a sua posse.

Na exchange, o dinheiro é seu sim, mas não está sob a sua posse, está sob a posse da corretora.

E do mesmo modo que no dinheiro físico, se a corretora falir ou tiver problemas, o seu dinheiro pode estar em risco também.

Então, ao comprar as moedas digitais, decida o que você quer fazer com elas: se você quer continuar negociando, fazendo o chamado day trade de criptomoedas, então usar da exchange pode ser uma opção viável. Para quem quer ter liquidez rápida, essa é a opção certa.

Mas se você deseja guardar as moedas e esperar que elas subam de valor com o tempo, ou qualquer outra coisa mesmo, como muita gente faz com o Bitcoin.

Então o lugar para guardar o seu dinheiro é na carteira de Bitcoin, para não correr o risco da exchange falir, ou ser hackeada, ou inúmeras coisas que podem acontecer.

O problema é que a liquidez imediata destes valores guardados com você na sua carteira é mais demorado e complicada, e se você não conhece ninguém disposto a comprar as moedas de você, talvez precise voltar com elas para a exchange.


Quais moedas digitais comprar?

Para começar, recomendamos comprar Bitcoin. É a maior, mais conhecida, e mais bem estabelecida de todas as moedas digitais.

Se você é um iniciante no mundo das criptomoedas, compre apenas algumas dezenas de ‘satoshis’ e aprenda sobre a tecnologia.

Quando se sentir confortável com o mercado de moedas digitais, como tudo funciona e de como as tecnologias e diferentes moedas são, então é a hora de pesquisar qual moeda te atrai mais.

Seja pelo concento tecnológico, ou a possibilidade de que essa seja a nova moeda do momento (como a DodgeCoin foi nesse ano de 2021, subindo de preço a absurdos 14.000%).


Moedas digitais 2021

Neste ano tivemos uma grande explosão em popularidade das moedas digitais.

Muita gente começou a levar o assunto a sério, coisa que antes era apenas para fóruns especializados na internet virou manchete de televisão.

Neste mercado em plena expansão, é preciso tomar bastante cuidado, especialmente ao lembrarmos das origens das moedas digitais: a internet.

A moeda DodgeCoin por exemplo, que iremos falar mais abaixo, é uma moeda meme, criada como uma brincadeira.

Fazer uma pesquisa minuciosa sobre as criptomoedas é muito importante. Cada uma conta com um projeto inicial diferente, com plataformas diferentes.

Verifique em sua pesquisa qual a reserva de valor da moeda digital, o fluxo e volume de negociações, quais corretoras especializadas e exchanges trabalham com a criptomoeda.

Moedas digitais mais valiosas

  • Bitcoin (BTC): é a moeda digital original, a que deu início a todo o mercado de criptomoedas. A sua tecnologia inovadora ainda é referência para todas as outras, e como foi a primeira a surgir, é a mais adotada no mundo todo. O valor de 1 Bitcoin chegou a mais de 65 mil dólares americanos neste ano (2021).
  • Ethereum (ETH): essa moeda digital foi proposta por Vitalik Buterin, um entusiasta russo, aos 19 anos de idade. A grande diferença do Ethereum é a capacidade de realizar “contratos inteligentes”, que seriam públicos e infraudáveis. Esses contratos funcionam de maneira justa e sem a intervenção de uma terceira parte humana. A moeda já chegou na casa 7 mil reais, no início deste ano (2021).

Moedas digitais em alta

  • Litecoin (LTC): essa foi uma das primeiras moedas alternativas ao Bitcoin (altcoin) a surgir no mercado. O diferencial da Litecoin é que ela tenta ser uma versão mais “light”do Bitcoin, com custos de transação menor e tempo de confirmação mais veloz. A alta histórica do Litecoin foi de U$410,26, em maio deste ano.
  • Dogecoin (DOGE): a moeda digital mais polêmica de 2021, que só no ano passado valorizou mais de 14.000%, e teve como investidor Elon Musk, CEO da gigante Tesla. Teve início comoo um meme da internet, com o cachorrinho da raça shiba inu como marca registrada.

Moedas digitais brasileiras

  • CryptoBRL (CBRL): essa é uma “stablecoin” brasileira, com o valor atrelado ao valor do nosso Real. Ou seja, cada 1 moeda digital da CryptoBRL equivale a 1 Real de dinheiro físico. É baseado na tecnologia da Ethereum, com o padrão ERC20.
  • Brazil Samba Token (BST): é um projeto brasileiro de moeda digital descentralizada, que foi desenvolvida para buscar financiamento coletivo de projetos dentro do próprio sistema da criptomoeda.

Moedas digitais baratas

  • Cardano (ADA): essa moeda digital tem ganhado fama nos fóruns e sites especializados, devido ao potencial da tecnologia inovadora que permite a transferência de valores programáveis.
  • Ravencoin (RVN): essa é uma moeda digital cujo foco é a transferência de ativos no comércio ponto a ponto (P2P), A ideia é que esses ativos sejam bens no mundo real, que a moeda transfira a propriedade de uma pessoa à outra.

Moedas digitais Ethereum

  • Moeda Binance (BNB): a Binance é uma das mais famosas exchanges de moedas digitais do mundo, e baseou a sua própria moeda na blockchain da Ethereum.
  • Axie Infinity Shards (AXS): é uma criptomoeda baseada na blockchain da Ethereum que usa seu token para simular um jogo, como se fosse Pokémon. As moedas funcionam como um mecanismo de votação dentro do jogo. Mais uma prova da inovação que esse mercado é capaz de proporcionar.

Conclusão

Moedas Digitais
Moedas Digitais | Reprodução: Canva

O mercado de moedas digitais está em pleno crescimento, e não por menos: a tendência tecnológica por tornar tudo interconectado pela internet está chegando no dinheiro.

O futuro do dinheiro e das finanças é no ciberespaço, e as criptomoedas têm um grande papel para essa nova revolução tecnológica.

O futuro das finanças está na descentralização, onde órgãos tipicamente associados a este tipo de atividade estarão em segundo plano – os bancos, corretoras de valores e até mesmo os bancos centrais de governos – e darão lugar para as pessoas negociarem diretamente entre si, em qualquer lugar do mundo.

Mas isso não significa que isso venha sem riscos. Os mesmos riscos que uma pessoa hoje têm para comprar e negociar as moedas digitais, iremos enfrentar em grande escala no futuro.

Problemas associados diretamente a essa descentralização que as moedas digitais trazem para o mercado.

Contudo, no momento as moedas digitais estão na fase de crescimento, e não podemos deixar essa oportunidade passar.

Mas se lembre que esse sentimento de medo de perder a oportunidade é muito perigoso no mundo das criptomoedas.

Muitas vezes, algum projeto que parecia muito promissor e sólido, se tornou um fracasso e o prejuízo foi grande para quem investiu.

Como tudo o que é novo, o potencial é imenso, mas os riscos também. Recomendamos prudência e muito estudo, e que não deixe a oportunidade de as moedas digitais passar!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu