5 tipos de investimentos para investidores qualificados

Conheça melhor os principais tipos de investimentos para investidores qualificados

Anúncios



Você sabia que há vários tipos de investimentos para investidores qualificados?

Cartões mais recomendados

Na verdade, esses investidores têm acesso a aplicações que não estão disponíveis para os investidores comuns.

Sendo assim, essa é uma das principais vantagens de fazer parte desse grupo: a possibilidade de diversificar o portfólio.

Quer tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto? Continue a leitura!

tipos de investimentos para investidores qualificados

O que é um investidor qualificado?

O investidor qualificado é a pessoa física ou jurídica que possui mais de R$ 1 milhão em aplicações financeiras e que ateste essa condição por escrito.

Entretanto, essa não é a única maneira de fazer parte dessa classe de investidores.

Anúncios


Afinal, também são considerados investidores qualificados, aqueles que foram aprovados em exames de qualificação técnica ou tenham certificados aceitos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Com uma dessas qualificações, torna-se possível ter acesso a investimentos mais restritos:

·         Ancord (Certificação para Agente Autônomo)

·         CEA (Certificação de Especialista em Investimentos)

·         CFP (Certificação de Planejador Financeiro)

·         CGA (Certificação de Gestores Anbima)

Anúncios


·         CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimento)


Investidor qualificado: vantagens e desvantagens

A CVM permite que os investidores dessa classe tenham acesso a ativos restritos ao público de forma geral.

Aliás, esse conceito é utilizado justamente como uma forma de regular o mercado e proteger os pequenos investidores.

É que o investidor qualificado possui mais experiência para compreender os riscos e volatilidade das aplicações. Afinal, ele vai precisar gerenciar os altos e baixos de seus investimentos.

Os tipos de investimentos para investidores qualificados, normalmente, oferecem taxas de rentabilidade mais atrativas.

Outra vantagem é a redução de custos, como a taxa de administração, que costuma ser mais baixa que a oferecida aos demais.

Contudo, a variedade de investimentos também apresenta determinados riscos.

É que ao ter acesso a aplicações mais restritas, esse investidor acaba tendo uma exposição maior aos riscos de mercado.

citação

Quais são os tipos de investimentos para investidores qualificados?

Os benefícios de ser considerado um investidor qualificado, como você pode ver, vão além de pertencer a um grupo específico de investidores.

Afinal, os investidores qualificados e profissionais, possuem diversos tipos de aplicações a sua disposição.

Abaixo, veja algumas das principais aplicações de acesso restrito a quem possui a qualificação exigida pela CVM:


1. CRI e CRA

CRI e CRA são títulos de renda fixa isentos de Imposto de Renda que significam, respectivamente, Certificado de Recebíveis Imobiliários e Certificado de Recebíveis do Agronegócio.

Embora ofereçam uma certa previsibilidade em relação ao retorno, apresentam riscos maiores do que os outros títulos de renda fixa, como o CDB e o Tesouro Direto, por exemplo.

Esses certificados, de forma geral, são uma forma que determinadas empresas utilizam para captar recursos financeiros.

Isso significa que ao investir em um CRI ou CRA, você está adquirindo pagamentos futuros acrescidos de juros, tudo isso, obviamente, dentro de um período estipulado.

A emissão é realizada por uma securitizadora e o retorno é prefixado ou pós-fixado.

Apesar de serem considerados investimentos de renda fixa, eles não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Dentre as vantagens desse tipo de aplicação, podemos mencionar isenção de tributação e possibilidade de recebimentos periódicos.


2. Fundos de Investimentos em Participações (FIP)

Os Fundos de Investimentos em Participações (FIP), também conhecidos como Private Equity, são destinados a investidores qualificados.

Sua base é como a de qualquer outro fundo: captar recursos financeiros de vários investidores para formar uma espécie de condomínio.

Para participar do fundo é necessário adquirir cotas. Os recursos financeiros aportados serão administrados por um gestor profissional.

O gestor deve atuar ativamente no empreendimento de interesse, pensando em estratégias para consolidação. O objetivo aqui é tornar o negócio mais valorizado, para obter rentabilidade.

Mas no caso do FIP, o funcionamento é um pouco diferente dos fundos tradicionais.

Uma das principais diferenças, é a possibilidade de investir em companhias de capital fechado.

Quem investe em um FIP, não tem direito somente a participar dos lucros de uma empresa. Aliás, os cotistas possuem uma certa influência em relação ao processo de tomada de decisões do negócio.

É importante mencionar que o FIP apresenta determinados riscos, como o risco de mercado. Ou seja, se o negócio não obtiver bons lucros ou ir à falência, os cotistas terão prejuízos.


3. FIEX

Os fundos de investimento no exterior (FIEX) são fundos que alocam pelo menos, 40% do patrimônio líquido em ativos internacionais.

Sendo assim, eles são fundos negociados no mercado local que investem em títulos e outros ativos localizados em mercados estrangeiros.

É uma excelente forma de diversificar o portfólio com ativos financeiros de todo o mundo.

Os fundos de investimento no exterior podem ser:

• Fundos de renda variável

• Fundos de renda fixa

• Fundos cambiais


4. FIDC

FIDC é a sigla para Fundo de Investimento em Direitos Creditórios.

O portfólio é administrado por um gestor profissional.

O FIDC funciona como uma união de vários investidores. Nesse caso, é necessário que seja destinada uma parcela de, pelo menos, 50% do patrimônio líquido a aplicações em Direitos Creditórios.

Os direitos creditórios são créditos que uma empresa tem a receber, como cheques, duplicatas e parcelas do cartão de crédito.

As dívidas são convertidas em títulos e vendidas para terceiros. Em troca, o investidor irá receber juros sobre o valor investido.


5. Fiis

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FII) são uma modalidade de investimento bem conhecida.

Afinal, a maioria dos Fiis está disponível para qualquer investidor.

Os principais tipos de Fiis são:

• Fundos de tijolo

• Fundos de papel

• Fundos de fundos

Como o nome já diz, são fundos de investimentos destinados à aplicação em empreendimentos imobiliários.

Entretanto, existem algumas possibilidades que são exclusivas para os investidores qualificados. O KNIP11 é um exemplo.

fundos disponíveis para investidores qualificados

Conclusão

Agora você já sabe quais são os principais tipos de investimentos para investidores qualificados.

Essa classificação é importante para restringir o acesso a determinados tipos de aplicações mais complexas.

Embora essas possibilidades de investimento ofereçam uma rentabilidade mais atrativa, é importante lembrar que há alguns riscos envolvidos, que devem ser considerados.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu