3 opções de renda fixa de crédito privado para investir

Saiba quais são as melhores opções de renda fixa de crédito privado para investir

Anúncios



Você já ouviu falar nas opções de renda fixa de crédito privado para investir? São alternativas de investimento que oferecem uma rentabilidade mais atrativa do que as aplicações de renda fixa tradicionais. 

Cartões mais recomendados

Por outro lado, os riscos envolvidos são maiores.

Mas afinal, será que essa modalidade de investimento vale a pena? Quais são as principais opções disponíveis no mercado?

Para saber mais sobre os títulos de crédito privado, continue a leitura. Vamos explicar tudo sobre o assunto.

renda fixa de crédito privado

O que é crédito privado?

Crédito privado é uma modalidade de investimento que pode ser útil tanto para investidores quanto para emissores.

Ele representa títulos emitidos por empresas e instituições financeiras. Assim como as outras aplicações de renda fixa, funciona como um empréstimo.

Anúncios


Em troca disso, o investidor recebe juros – de acordo com as taxas e prazos definidos no título.

A diferença entre crédito público e privado está no emissor do título. Ou seja, nesse caso, a emissão é feita por empresas privadas, que precisam levantar recursos financeiros para realizar suas operações.


Quais são as opções de renda fixa de crédito privado?

Veja as opções de títulos de crédito privado que vale a pena conferir:


1. Debêntures

As debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas privadas e negociados no mercado de capitais.

Seu funcionamento lembra muito o do Tesouro Direto.

Contudo, em vez de “emprestar dinheiro para o governo”, quem compra uma debênture, está emprestando dinheiro para uma empresa, para que ela possa financiar projetos e expandir suas operações.

Anúncios


As condições de emissão são estabelecidas pela própria empresa. Por esse motivo, as debêntures são consideradas uma forma flexível de captar recursos.

Além disso, também são mais baratas do que um empréstimo bancário tradicional.

Há diferenças consideráveis entre as debêntures disponíveis no mercado. Os papéis podem ser classificados em alguns tipos, como por exemplo:

• Debêntures comuns

• Debêntures incentivadas

• Debêntures conversíveis

• Debêntures simples

• Debêntures perpétuas

• Debêntures permutáveis

• Debêntures participativas


2. CRI e CRA

O certificado de recebíveis imobiliários (CRI) e o certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) são títulos de renda fixa.

Eles são títulos de crédito emitidos exclusivamente por companhias securitizadoras, instituições fora do setor financeiro, que transformam contas a receber em títulos que podem ser negociados no mercado financeiro.

Essas contas a receber podem ser empréstimos, financiamentos, cheques, aluguéis, contratos de empréstimo e muito mais.

Os certificados de recebíveis funcionam como uma alternativa para companhias financiarem projetos no setor imobiliário e no agronegócio.

Os motivos pelos quais o CRI e CRA são procurados, são a rentabilidade (que é mais atrativa do que a de outros investimentos de renda fixa) e a isenção de Imposto de Renda.

Contudo, apesar de serem um investimento de renda fixa, os certificados de recebíveis possuem risco de mercado e de crédito. Eles também não contam com a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

E é por esse motivo que eles costumam pagar mais do que outros títulos de renda fixa, que são considerados de baixo risco, como CDBs, Tesouro Direto e LCI/LCA.

citação

3. FIDC

FIDC é a sigla para Fundo de Investimento em Direitos Creditórios.

Funciona como uma comunhão de recursos, que aplica no mínimo, 50% do seu respectivo patrimônio líquido para aplicações em direitos creditórios.

De maneira geral, podemos definir o FIDC, como um fundo de investimento que aplica em títulos de crédito formados por contas a receber de uma companhia.

Os investidores recebem uma taxa de retorno baseada nos pagamentos de capital e juros associados. 

Ou seja, como o valor investido é baseado em uma taxa, previamente acordada, o investidor irá saber exatamente o quanto vai receber no vencimento da aplicação.

Há duas possibilidades para constituir um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios:

• Fundo aberto: podem a qualquer momento emitir novas cotas e resgatá-las

• Fundo fechado: só é possível resgatar as cotas após o prazo estimulado previamente


Por que os créditos privados são mais atrativos com a Selic em alta?

O crédito privado faz parte da renda fixa.

Por esse motivo, é normal que ele seja impactado com a movimentação da Selic, que é a taxa básica de juros da economia e que interfere de forma direta ou indireta nos investimentos de renda fixa.

Quando ocorre o aumento dos juros, a tendência é que a rentabilidade das aplicações de renda fixa seja maior.

Com a alta da Selic e as perspectivas de crescimento, há a chamada abertura da curva de juros, que significa que as taxas de juros praticadas pelo mercado estão em alta, o que tende a aumentar a rentabilidade.


Quais são as vantagens das opções de renda fixa de crédito privado?

O principal benefício desses títulos é o potencial de retorno.

Afinal, como eles estão sujeitos a determinados riscos de inadimplência por parte das emissoras, os títulos de crédito privado oferecem uma rentabilidade maior do que a de ativos de renda fixa tradicionais.

Além disso, eles ajudam o investidor a diversificar a carteira, mas sem ter que sair da renda fixa.


Quais são os riscos do investimento em crédito privado?

Embora a rentabilidade seja atrativa, é importante entender quais são os riscos envolvidos.

Apesar de serem classificados como ativos de renda fixa, esses títulos apresentam riscos maiores.

O principal motivo disso é que esse investimento não conta com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Para diminuir os riscos, é necessário que o investidor sempre leve em conta o potencial de pagamento da empresa responsável pela emissão dos títulos. Para fazer isso, avalie as condições e histórico da companhia.

Em relação a aplicação mínima, normalmente os títulos de crédito privado exigem um valor mais alto.

como montar uma carteira de investimentos de renda fixa?

Conclusão

Agora você já sabe quais são as principais opções de renda fixa de crédito privado.

Antes de começar a investir, é necessário entender qual é o seu perfil de investidor, traçar objetivos financeiros e entender todos os riscos envolvidos.

Além disso, não deixe de verificar qual é o tipo de garantia que a empresa está oferecendo.

Por fim, lembre-se de que mesmo que você queira investir apenas em renda fixa, o ideal é diversificar a sua carteira, para aumentar os ganhos e diminuir os riscos. 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Leia Mais

Cartão VISA com limite INACREDITÁVEL

Você já descobriu a novidade que a VISA está proporcionando aos clientes? Um novo cartão com limite inacreditável está na área! Anúncios Nossa equipe decidiu